Quero nuvens de algodão doce em potinhos!

Cá estou eu, em uma manhã cinzenta, após 6 meses sem escrever aqui, sem cogitar deixar meus pensamentos transbordarem … pois bem, minha mente – pra variar – anda um turbilhão, são tantos pensamentos, mas tantos, que uns passam por cima dos outros, atropelando-se, exaustivamente. Mas não é sobre isso que quero falar hoje, não é hora para falar de tristezas, pelo menos não por enquanto. Existe uma grande possibilidade de eu voltar a escrever aqui no fim de semana, escrever lamentações de uma vestibulanda revoltada rsrs. Hoje quero falar sobre meu dia-a-dia.

Não sei mas, às vezes, me sinto perdida no tempo. Fora de órbita. Tudo é tão sem nexo nessa correria diária, não acha? Quando assisto a filmes antigos, daqueles bem mamão com açúcar, nos quais os finais sempre são lindos, os moçinhos sempre terminam com as moçinhas, o bem sempre vence, manja? Pois bem. Sinto-me atordoada. Pergunto-me repetidas vezes porque fico assim e reclamo aos deuses, sempre com a resposta na língua: eu devia ter nascido em outra época! Mas também não é sobre essas minhas crises existenciais que eu quero falar não. Isso tudo não passa de rodeio, embromation. Acordei querendo escrever sobre o amor. Sobre uma serenidade estranha que tem me invadido a alma neste últimos tempos. Tempos…

Em tempos de tormenta, estresse, velocidade, em meio ao caos habitual, você – manteiga derretida que sempre foi – se perde lidamente em um sorriso. Seu dia pode estar neboluso, você pode ter acordado triplamente esquerda (com os pés, a alma e o coração), a probabilidade de você ter um dia feliz é mínima, quase nula.

(Veja bem, esse quase só existe porque você, complexa como sempre, finge que não acredita em milagres, quando são eles que guiam suas esperanças e sonhos todos os dias.)

 E então, você, pairando sob o mais triste tédio, quase se rendendo, deixando sua força se esvair no ar, rendendo seu cérebro à insignificância do seu dia monótono … … você perde o fôlego … … em meio a luz … … única! E você se pergunta: Meu Deus, como pode? Você fica besta, pasma, tem tremiliques, não sabe o que dizer, o que pensar, o que fazer pra disfarçar a cara de boba que já deve estar pairando sob seu rosto neste exato momento. Mas não há o que fazer. Já dizia minha sábia Fernanda Mello, reciprocidade é uma das coisas mais legais do mundo. E você vê o sorriso que iluminou sua manhã, sua tarde, sua noite (é, últimamente, apesar de eu estar de birra com o destino, há dias em que só ele me salva) ficando maior, bobo, você a felicidade sublimando, se espalhando, envolvendo vocês como uma nuvem de algodão doce. Doce. Mais que doce! Inebriante … você tenta recuperar seu fôlego, dizer qualquer besteira pra não ficar atônita, não entrar em transe, não hipnotizar. Tarde demais amor. Uma cópia fiel da voz que lhe agrada ecoa em sua mente. E você ri, loucamente, lindamente. Risos múltiplos.

Pois é, pra mim, isso tem nome …. encantamento. Mas sabe o que me encanta em tudo isso? O fato de eu ver o amor espalhado por aí. Olhar rostos comuns e me ver refletida neles, nos amigos, nos colegas, nos estranhos. É como procurar respostas sem nem ao menos saber quais as perguntas. Meu encantamente existe justamente por isso. Porque mesmo sem eu, nem ele, sabermos quais as perguntas, sempre achamos uma reposta que nos caia bem. Confesso que a errada sou eu. Sou animal sentimental me apego fácil a TUDO que desperta meu desejo. Renato sabia. Sabia tanto sobre a alma humana, que soube traduzir a minha. Sim, me apego mesmo, mergulho de cabeça, mesmo pensando nas consequências – pra mim, claro. Mas é que essa dose de felicidade instantânea me faz tão bem. Leva-me embora o tédio, as tristezas, as angústias … traz tantas certezas sobre meu destino incerto … é imposível não se deixar levar … ou pelo menos eu não consigo ….

…..

ou pelo menos, eu não quero. Não agora. Afinal, não se tira o doce das nossas bocas pra colocar na boca de outro alguém qualquer, né não? hahahaha

PS: bem que estas nuvens de algodão doce podiam vir em potinhos né? Tenho que entrar em contato com a empresa de tupperwares hahahaha

Anúncios

Sobre apenasteusolhos

Como já dizia a linda música "sou uma gota d'água, sou um grão de areia" =] Se te interessas, decifra-me...
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Quero nuvens de algodão doce em potinhos!

  1. Fernanda Ruas disse:

    Adorei Laís =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s